Divulgação

Ministro do Ambiente preside à assinatura de contratos com doze municípios, em Matosinhos

0 Partilhas
0
0
0
Este artigo foi publicado há, pelo menos, 5 anos, pelo que o seu conteúdo pode estar desatualizado

Divulgação

 

O programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização recebeu 35 candidaturas, tendo sido eleitos para comparticipação os projetos dos municípios de Matosinhos, Almada, Seixal, Águeda, Figueira da Foz, Maia, Évora, Loulé, Mafra, Alenquer, Barcelos e Braga. A 6 de novembro, pelas 11h, estes municípios vão assinar os respetivos contratos de desenvolvimento com o Fundo Ambiental durante uma cerimónia que decorrerá no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Matosinhos. A sessão será presidida pelo ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

Um Laboratório Vivo para a Descarbonização é uma adaptação de um espaço urbano com identidade local de modo a tornar-se num espaço de teste, demonstração e apropriação de soluções tecnológicas integradas em contexto real que promovam a descarbonização da vida nas cidades. Cada autarquia receberá uma verba inicial de cerca de 80 mil euros, estando previsto que a fase seguinte do programa triplique este valor.

Impulsionar a descarbonização das cidades através de soluções tecnológicas que aumentem a eficiência e reduzam o consumo de energia, bem como contribuir para criar cidades inovadoras, sustentáveis e inclusivas que melhorem a qualidade de vida dos cidadãos, são dois principais objetivos do programa Laboratórios Vivos para a Descarbonização. 

Em Matosinhos, o Living Lab foi já apresentado publicamente em setembro, estando já a ser testadas algumas tecnologias relacionadas com a gestão do trânsito urbano e com o aproveitamento de energia solar. 

Encontrou um erro ou um lapso no artigo? Diga-nos: selecione o erro e faça Ctrl+Enter.

0 Partilhas
Há mais para ler...