Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

o canal de informação regional d'o largo....

21.07.18

Viana do Castelo vai ter o primeiro Banco de Provas da PSP


por helena margarida

Município de Viana do Castelo

O primeiro banco de provas para armas de fogo e munições vai ser criado em Viana do Castelo. A escritura de constituição de direito de superfície sobre uma parcela de terreno situada na Zona Industrial do Neiva para a construção da infraestrutura já está assinada pelo Presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, José Maria Costa, e pelo Diretor Nacional da Polícia de Segurança Pública, Luís Farinha.

A cedência do terreno com uma área de 8.900 metros quadrados é por tempo indeterminado, cessando apenas na eventualidade de encerramento deste equipamento. No documento agora assinado pode ler-se ainda que o Banco de Provas será da responsabilidade da PSP e tem de estar instalado no prazo de 3 anos.  Assume-se como uma infraestrutura necessária ao eficaz e eficiente teste para controlo de qualidade das armas de fogo e munições, sendo a sua instalação, fiscalização e controle da competência da PSP.

Este equipamento, o 17º existente a nível mundial, será o primeiro a ser construído em Portugal, devendo entrar em funcionamento em 2019, representando um investimento superior a dois milhões de euros, comparticipado em 75 por cento com verbas comunitárias pelo Fundo para a Segurança Interna (FSI) e com 25 por cento de comparticipação nacional.

O Banco de Provas da CIP, entidade certificadora de armamento e munições, ficará instalado na Zona Industrial do Neiva, perto das instalações da Browning Viana, uma das empresas armeiras portuguesas com maior dimensão, possibilitando que a certificação da produção seja feita em Portugal e a exportação feita pelo produtor. 

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
21.07.18

Guimarães: Chaminé da Fábrica de Curtumes de Roldes vai ser recuperada


por helena margarida

Município de Guimarães

A Câmara Municipal de Guimarães vai recuperar a chaminé da Fábrica de Curtumes de Roldes, no Lugar de Carneiros, em Fermentões. Para tal procedeu à aquisição deste "elemento arquitetónico único, raro e indispensável à história do concelho”.

Para proceder à recuperação e manutenção daquele marco histórico, a autarquia está na disposição de executar as obras necessárias à estabilização da chaminé, em face da sua atual degradação. A estimativa das obras a realizar ascende a €50.000,00 + IVA, podendo, contudo, este valor vir a ser superior visto que ainda não foi avaliada se a inclinação se deve a assentamentos do terreno, o que será verificado através de estudo de estabilidade da chaminé ainda a realizar.

Recorde-se que a empresa proprietária havia solicitado autorização para a demolição da chaminé alegando perigo de ruína. Pedido esse que foi indeferido com indicação para urgente recuperação.

Entretanto, os representantes da empresa concordaram com a cedência do terreno onde se encontra a chaminé, em regime de direito de superfície por um período de 70 anos, prorrogável por iguais períodos, bem como a constituição de uma servidão de um terreno, a favor do Município, para acesso à própria chaminé, nomeadamente para execução das respetivas obras de recuperação e manutenção.

A chaminé é constituída por tijolo maciço, em forma de cone, e tem uma altura de 31 metros.

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
21.07.18

Barcelos: Solidariedade e Festa foram ingredientes principais da Galo Night Run


por helena margarida

Amigos da Montanha

"Pela Carlota"mais de três mil pessoas participaram na Galo Night Run. Um recorde de participantes, garante a organização, o que se traduziu em 3 100 euros angariados para o tratamento desta menina que sofre de paralisia cerebral.

O desafio lançado pelos Amigos da Montanha era o de viverem "a noite mais luminosa" numa atividade desportiva em Barcelos pela custo de inscrição de 1€.

O aquecimento desta festa fez-se com Zumba, um baile mandado do Castelo para a ponte e Largo Guilherme Gomes Fernandes. Alegria, ritmo e cor trasmitida em painel gigante para que os participantes acompanhassem a coreografia.

Corpo aquecido e mente desperta arrancou-se para a corrida e caminhada de 10 km. Um percurso que se fez pelas ruas da cidade e pelas margens do Cávado passando na ponte flutuante que os Amigos da Montanha colocaram junto ao areal de Barcelinhos para o evento "Jogos do Rio" que está a realizar-se todos os sábados de julho.

A acompanhar a Night Run não faltou o folclore, fado e Dj's que, em zonas temáticas, animavam os particiantes que também eram motivados por fumeiro, bolo vinho, licor de ginja, cubas e champanhe.

O fogo de artíficio assumiu lugar de destaque a marcar a partida, milhares de velas emblezaram as margens, as animações luminosas deram um colorido especial e tudo fez da Galo Night Run uma festa em Barcelos, em perfeita harmonia com a prática desportiva, onde mais uma vez "a colaboração de dezenas de voluntários ao longo de percurso foi fundamental", considerou Américo Alves, presidente da direção dos Amigos da Montanha.

Solidariedade e festa carimbaram a quinta edição da Galo Night Run que teve como vencedores Doroteia Peixoto e Augusto Costa, ambos atletas dos Amigos da Montanha.

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
20.07.18

Cinfães: homem morre ao lançar fogo-de-artíficio


por Bruno Micael Fernandes

Pedro Ribeiro Simões (CC BY 2.0)

 

Um homem morreu esta sexta-feira em São Cristóvão de Nogueira, Cinfães, devido a uma explosão de fogo de artíficio.

Várias fontes referem que a vítima de 38 anos era membro da comissão de festas de São Cristóvão e estaria a preparar-se para lançar "um conjunto de tubos de fogo de artíficio" quando se deu uma explosão. 

O homem foi a única vítima deste acidente. 

O alerta foi dado por volta das 09h25, tendo sido deslocados para o local 19 operacionais acompanhados de seis viaturas, para além de se aguardar a chegada da Polícia Judiciária. 

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
20.07.18

Valença: homem morre em acidente numa pedreira


por Bruno Micael Fernandes

Pedro Ribeiro Simões (CC BY 2.0)

 

Um homem morreu esta sexta-feira num acidente numa pedreira em Boivão, Valença, avança a Agência Lusa, citando fonte da Proteção Civil. 

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Viana do Castelo, o acidente ocorreu "quando estava a ser preparada pedra para cortar" e esta "partiu" caindo sobre o trabalhador. O acidente ocorreu às 08h07 na pedreira Cavaleiro, Nogueira & Fernandes. 

No local, estiveram os bombeiros de Valença com oito operacionais e três viaturas e a ambulância de suporte Imediato de Vida, para além da GNR. 

A GNR refere à agência noticiosa que a vítima terá entre 36 e 40 anos. O CDOS referiu ainda que o acidente será comunicado à Autoridade para as Condições de Trabalho. 

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
17.07.18

Guerras Peninsulares vão ser encenadas no Forte das Batarias da Catraia


por helena margarida

Município de Proença-a-Nova

O Forte das Batarias I, no concelho de Proença-a-Nova, receberá a 29 de julho e 12 de agosto, uma encenação militar que irá representar as guerras peninsulares ao território português. Será uma viagem que remontará ao período entre o século XVII e Napoleão, integrada na Rota das Visitas Guiadas e Encenadas do projeto Beira Baixa Cultural, promovida pelo Município de Proença-a-Nova. A primeira atividade acontecerá a 29 de julho, com ponto de encontro na Catraia (junto às bombas de gasolina) às 9h00 e a partir desse local os participantes serão encaminhados para o Forte das Batarias I, onde será feito um enquadramento histórico pelo professor António Manuel Silva e por um arqueólogo do Campo de Arqueologia Internacional de Proença-a-Nova, seguido da encenação pelo grupo de teatro Vaátão, convidando os presentes a trilhar o caminho dos invasores. A 12 de agosto, a proposta é para “Acordar o sol”, com início às 4h00, e integra o 156º Passeio Pedestre, onde além do enquadramento histórico e da encenação histórica, contará com a observação dos astros e com a participação do astrofísico José de Matos. Ambas atividades são gratuitas, mas de inscrição obrigatória no Posto de Turismo. Estas duas iniciativas pretendem divulgar as estruturas militares existentes em Proença-a-Nova, e a troca de conhecimento sobre as linhas defensivas que foram construídas no território europeu, do século XVII e as Guerras napoleónicas, com foco na sua topografia, as diferentes estruturas que as integram, a sua função, evolução e eficiência, entre outros aspetos, e juntam-se às já realizadas em abril, com a encenação dos rituais fúnebres na Anta do Vale do Alvito, em maio, com a recriação histórica da Lenda do Santo Lenho, e em julho e agosto com as oficinas de iniciação à arqueologia. Todas estas iniciativas constituem o programa de 2018 da Rota das Visitas Guiadas e Encenadas aos Monumentos Megalíticos, inseridas no projeto Beira Baixa Cultural, - cofinanciado no âmbito do Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da União Europeia, promovido pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB). A próxima iniciativa deste programa acontecerá a 23 de setembro, inserida no programa do Festival do Plangaio e do Maranho, em Sobreira Formosa, e retratará a Batalha do Alvito, encenada pelo grupo de teatro Vivarte. O concelho de Proença-a-Nova é rico em estruturas militares que remontam ao Séc. XVIII e às quais se dá o nome de Linha Defensiva das Talhadas-Moradal. Esta era a primeira linha de defesa do território, face às invasões que entravam pela Beira-Baixa. Estas Linhas Defensivas revestem-se de grande importância patrimonial, histórica e turística e ainda hoje permanecem na memória dos populares como sendo do “tempo dos franceses”.

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.

Pág. 1/3