Joseolgon (CC BY-SA 4.0)

Viana do Castelo: últimos moradores do “Prédio Coutinho” recusam sair

0 Partilhas
0
0
0
Este artigo foi publicado há, pelo menos, 3 anos, pelo que o seu conteúdo pode estar desatualizado

Joseolgon (CC BY-SA 4.0)

Os moradores do Edifício Jardim, também conhecido como “Prédio Coutinho”, em Viana do Castelo, recusaram-se a entregar as chaves dos apartamentos à Viana Polis. Esta segunda-feira era o último dia para a entrega das últimas frações do prédio. Colaboradores da VianaPolis já entraram no prédio para substituir as fechaduras.

Com a demolição do prédio prevista, pelo menos, desde 2000, os últimos doze moradores tentam nova ação em tribunal. Segundo vários órgãos de comunicação social, o advogado dos moradores terá interposto nova ação de intimação para “defesa dos direitos, liberdades e garantias” mas que não tem quaisquer efeitos suspensivos.

Em declarações aos jornalistas, uma das moradoras, Fernanda Rocha, diz que não tem sítio para onde ir e que ainda não recebeu qualquer indemnização. “Nós não roubamos o apartamento: nós compramos e estamos legais!”, refere. A moradora também diz que a VianaPolis nunca falou com os moradores. “Entraram uma vez no meu apartamento por um problema que tive na casa de banho”.

Esta ação acontece depois do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga ter declarado improcedente da providência cautelar movida pelos moradores em março de 2018. O “Prédio Coutinho” será demolido para dar lugar ao novo mercado municipal de Viana do Castelo.

Encontrou um erro ou um lapso no artigo? Diga-nos: selecione o erro e faça Ctrl+Enter.

0 Partilhas
Há mais para ler...