Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Informadouro

o canal de informação regional d'o largo....

27.05.21

Barcelos: presidente da Câmara constituído arguido


por Redação o largo.

Município de Barcelos

O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes, foi constituído arguido num inquérito sobre a aquisição de 49% da concessão de água e saneamento do concelho por parte da autarquia. A informação está a ser avançada pela Agência Lusa e replicada por vários meios de comunicação social.

A constituição de arguido aconteceu na quarta-feira. Fonte da Polícia Judiciária (PJ) assegurou à agência de notícias que Costa Gomes é, para já, o único arguido no processo e que os factos que lhe são atribuídos podem configurar crimes de prevaricação e participação económica em negócio.

O negócio

Este processo advém de um acordo, que o PSD local classificou de "secreto", entre o autarca e a construtora Alexandre Barbosa Borges (ABB) para a compra de 49% da concessão de água e saneamento. Esta compra, aprovada em 2017 e não consomada devido a, segundo a Câmara, problemas entre os acionistas da Águas de Barcelos, vem da condenação da autarquia ao pagamento de 172 milhões de euros (217 milhões com juros), valor decidido em tribunal arbitral depois da empresa querer a reposição do equilíbrio económico-financeiro da concessão por não terem sido atingidos os consumos previstos.

A Câmara Municipal ainda não reagiu a esta notícia.

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
25.05.21

Castro Daire: intervenção nas termas do Carvalhal retomadas


por Redação o largo.

Município de Castro Daire

Já foram retomadas as obras na avenida dos Emigrantes nas Termas do Carvalhal, Mamouros, anunciou o município de Castro Daire.

Em comunicado, a autarquia esclarece que só agora foi possível retomar as obras devido à "redução do caudal da Ribeira de Courinha para os níveis agora registados".

As obras incluem a "instalação de uma estrutura de ponte de maior dimensão (duplicação da seção de vazão) e de maior robustez" do que aquela que estava no local. O pontão foi destruído aquando da tempestade Elsa devido ao caudal excessivo da ribeira. "Esta estrutura pré-fabricada em betão irá garantir uma maior fiabilidade e segurança a todos os seus utilizadores", assegura a autarquia.

O investimento nesta obra é de 150 mil euros, sendo que a autarquia aguarda o reconhecimento de calamidade pública dos danos causados pela tempestade para obter comparticipação do Fundo de Emergência.

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
25.05.21

Santa Marta de Penaguião: aberto concurso de concessão do bar das Piscinas


por Redação o largo.

A autarquia de Santa Marta de Penaguião já abriu o concurso para a concessão e exploração do bar das Piscinas Municipais.

Em comunicado, o município refere que "a concessão e exploração será para o período de 08 de julho a 15 de setembro sendo o preço base para licitação de 500 €". todas as informações estão disponíveis no site oficial da autarquia.

O concurso para a obtenção desta concessão prolonga-se até dia 15 de junho. As propostas devem ser entregues até às 17h desse dia no Gabinete de Atendimento do Munícipe.

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
13.05.21

"Para cima, é o novo rumo em Vénus"


por Redação o largo.

Este texto é publicado na rede d'o largo. no âmbito do programa "Cultura, Ciência e Tecnologia na Imprensa", promovido pela Associação Portuguesa de Imprensa.


Num planeta de rotação lenta como Vénus, mas com ventos constantes que vão para além dos mais devastadores furacões na Terra, qualquer leve brisa poderá fazer parte da chave para a misteriosa “super-rotação” da sua atmosfera. Agora, dois estudos liderados por investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) contribuem para o continuado esforço para que enfim se venha a compreender o que faz com que o invólucro aéreo de Vénus rode tão rapidamente.

Um estudo liderado por José Silva, do IA e da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (Ciências ULisboa), publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics, procurou por padrões de ondas nas nuvens baixas, a cerca de 47 quilómetros de altitude, em mais de 5500 imagens dos arquivos de duas missões espaciais ao planeta. É a maior pesquisa de sempre por ondas atmosféricas no lado noturno de Vénus, e é agora uma base de dados que poderá indiciar aquilo que as está a criar.

“As ondas atmosféricas de gravidade têm sido alvo de cada vez mais atenção devido ao seu papel no transporte de energia em atmosferas planetárias”, diz José Silva. “Podem ser uma das chaves na explicação do mecanismo que gera e mantém a super-rotação da atmosfera de Vénus.”

Numa região baixa da atmosfera, próximo da temperatura que derrete chumbo típica da superfície do planeta, o ar flui como água numa panela em ebulição. As suas células convectivas poderão alimentar ondas que, por sua vez, podem forçar a dinâmica das camadas superiores, a cerca de 70 quilómetros de altitude, onde o fluxo principal circula. Mas poderão não ser a única fonte de ondas, de acordo com a análise dos investigadores feita a imagens no infravermelho em arquivo. Estas foram obtidas em 2007 e 2008 com o Visible Infrared Thermal Imaging Spectrometer (espectrómetro de imagem no visível, infravermelho e radiação térmica) da missão Venus Express, da Agência Espacial Europeia (ESA), e em 2016 com o instrumento IR2 da missão Akatsuki, da agência espacial japonesa JAXA.

“As ondas atmosféricas de gravidade que se manifestam nas nuvens baixas podem ter mais do que apenas uma fonte geradora dominante, dada a sua grande diversidade. O seu papel na circulação da atmosfera ainda é difuso, mas os dados que apresentamos podem auxiliar o trabalho que está atualmente a ser feito em modelização da atmosfera, se incluírem os nossos resultados para melhorar as previsões”, explica José Silva.

Simulações da atmosfera feitas por computador, com modelos físicos completos, e nas quais investigadores do IA estão também ativamente envolvidos, têm mostrado que diferenças a curta distância na velocidade ou na direção do vento vertical podem afetar o comprimento de onda e a direção de ondas atmosféricas, e de um modo que é consistente com o que este estudo descobriu sobre as propriedades destas ondas.

Precisamente, o estudo dos ventos verticais, e do transporte vertical, ganhou uma nova janela. Descobriu-se que duas técnicas de medida usadas em simultâneo mas a milhões de quilómetros entre si, com telescópios na Terra e sondas mesmo por cima de Vénus, têm estado a sondar a velocidade dos ventos horizontais a duas altitudes ligeiramente diferentes. Este resultado foi publicado em abril na revista científica Atmosphere e foi liderado por Pedro Machado, do IA e de Ciências ULisboa, também coautor do primeiro artigo já mencionado.

“Esta diferença é muito importante, pois podemos estudar e estimar a componente vertical do vento, ainda para mais numa região de extremo interesse em termos dinâmicos”, diz Pedro Machado. “Essa é a zona onde a atmosfera acelera até atingir um máximo do vento zonal (paralelo ao equador) e do vento meridional (perpendicular ao equador).”

O grupo de Pedro Machado está a medir a velocidade horizontal de ambos os ventos zonal e meridional através de uma técnica desenvolvida no IA. Esta técnica utiliza desvios de Doppler6 na luz solar refletida pelas nuvens de Vénus na direção de telescópios na Terra. A sua precisão, com recurso a espectrógrafos de alta resolução no Telescópio Canada France Hawaii, ou no Very Large Telescope (VLT), do ESO, no Chile, é notavelmente comparável à obtida com as dispendiosas missões espaciais que têm estado a rastrear os movimentos das nuvens mesmo por cima de Vénus: Venus Express e Akatsuki.

“Ao longo dos anos, temos vindo a medir velocidades dos ventos que são muito consistentes, mas também sistematicamente mais elevadas, em cerca de 40 ou 50 quilómetros por hora, do que as medidas com dados a partir de imagens de seguimento de nuvens”, afirma Pedro Machado. “Agora, com a sólida evidência de que estamos de facto a estudar duas altitudes diferentes, com as nossas observações com telescópios a sondar dois ou quatro quilómetros mais acima, vamos efetuar projetos de observação coordenada a partir do espaço, com a sonda Akatsuki, e a partir do solo, de modo a fazer o mapa da componente vertical do vento.”

Diferentes comprimentos de onda sondam diferentes altitudes, com a luz visível e a ultravioleta a serem refletidas por propriedades das nuvens altas, e o infravermelho a revelar as camadas mais baixas. “O próximo passo será investigar a propagação das ondas atmosféricas para outros níveis de altitude. Quanta energia é que elas conseguem transportar, e quão eficazes são em potenciar a super-rotação?”, pergunta José Silva.

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
03.05.21

Presidente da Câmara de Torres Vedras encontrado morto


por Redação o largo.

O presidente da Câmara de Torres Vedras Carlos Bernardes foi encontrado morto ao início da tarde desta segunda-feira na sua casa, na freguesia de Turcifal.

O Correio da Manhã avança que o corpo foi encontrado com um golpe no pescoço, sendo que a PJ já está a investigar o caso.

Carlos Bernardes era o autarca de Torres Vedras desde 2015, tendo-se recandidatado às próximas eleições autárquicas, sendo apoiado pelo PS. Tinha 53 anos.

Câmara decreta cinco dias de luto municipal

Entretanto, a autarquia emitiu um comunicado, enaltecendo o "percurso" de Bernardes "marcado pela sua dedicação a Torres Vedras, à causa pública e à administração local" enquanto vice-presidente e vereador, além de secretário da Junta de Turcifal. Apresentando "as mais profundas condolências à família", o executivo decretou cinco dias de luto municipal a partir desta terça-feira.

Também o Presidente da República emitiu uma nota. No site da Presidência, Marcelo Rebelo de Sousa diz ter recebido a notícia "inesperada" com "enorme consternação" e envia as condolências à família, mas também a todo o município.

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.
01.05.21

Estação do Pinhão vai ver passar mais comboios este verão


por Redação o largo.

A CP - Comboios de Portugal vai reforçar a oferta na região duriense. A partir de 16 de maio estarão nos carris mais dois comboios com destino à vila do Pinhão.

As novas ligações ferroviárias ao vale do Douro realizam-se por prolongamento de serviços já existentes e que até aqui terminavam na cidade da Régua. O comboio regional 4105 procedente de Marco de Canaveses passa a ter como destino o Pinhão onde chega pelas 16h21. O comboio Interregional 874 passa a ter origem no Pinhão às 16h41 e tem como destino a estação de São Bento no Porto. Serão ainda introduzidos alguns ajustes pontuais à oferta na linha do Douro.

Sandra Moutinho, Presidente da Junta de Freguesia do Pinhão, considera esta decisão o reconhecimento da CP "da importância desta linha ao criar mais serviços e mais lugares dando resposta a uma procura crescente". A autarca sublinha ainda que "num momento em que a vila anseia pela retoma económica e pelo fluxo turístico, mais comboios significa que haverá mais pessoas e mais opções de viagem para quem nos visita”.

Há um ano a CP criou o MiraDouro e nem a pandemia tirou à região vinhateira o encanto das visitas no verão. Sandra Moutinho espera que esse sucesso se repita este ano até porque “as renovadas carruagens Schindler e a nova experiência do MiraDouro não só deu mais conforto a quem usa o comboio diariamente como deu uma nova atratividade à linha, à vila e à região”.

A Presidente da Junta recorda ainda que “a linha do Douro gerava, antes da pandemia cerca de 1,1 milhões de viagens/ano entre o Marco e o Pocinho, com esta aposta da CP e a esperada normalidade da nossa vida, tudo leva a crer que estes números se reforcem”.

Para já a Vila do Pinhão poderá contar com 12 ligações diárias ao Porto e 10 ao Pocinho a que se juntará o comboio histórico no próximo verão naquilo que "é um reconhecimento claro por parte da CP no potencial da região".

encontrou um erro? proponha uma correção ou, simplesmente, fale connosco:
redacao@olargo.pt
estamos no facebook e no twitter.
escute a emissão d'o largo.fm e torna-se nosso patrono.

Pág. 1/2