IPLeiria

IPLeiria com dificuldades no pagamento de salários

0 Partilhas
0
0
0
Este artigo foi publicado há, pelo menos, 1 ano, pelo que o seu conteúdo pode estar desatualizado

IPLeiria

O Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) está a registar dificuldades em pagar salários, estando a aguardar a transferência de um milhão de euros do Governo e que seria suficiente para “equilibrar contas”. 

O problema foi destacado por Rui Pedrosa, presidente da instituição, no seu discurso na cerimónia de abertura do ano letivo: a instituição continua “sem qualquer resposta” por parte da tutela relativamente a um “financiamento solicitado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e à Direção-Geral do Ensino Superior associado aos cursos Técnicos Superiores Profissionais (TeSP)”. Este tipo de cursos são “financiados diretamente pelo Orçamento de Estado (OE)”, visto que são lecionados fora de regiões de não convergência, isto é, fora de Lisboa, Porto e Algarve: “Este financiamento é um direito do Politécnico de Leiria e seria suficiente para conseguirmos equilibrar as nossas contas este ano”, sustenta o responsável.

Em declarações à Agência Lusa, citadas pela rádio local Mundial FM, Pedrosa vai mais longe e indica que “houve uma redução de 60% da receita própria dos Serviços de Ação Social (SAS) e as despesas só reduziram 40%, porque os recursos humanos estão estáveis, felizmente. Temos de assumir os valores dos salários e os encargos sociais obrigatórios” que chega aos 1,7 milhões de euros, aos quais acresce cerca de um milhão de euros, adiantou. Para colmatar estas dificuldades, foram transferidos “mais de 500 mil euros nos últimos dois anos” para os SAS, mas da parte tutela mantém-se o silêncio, além de que mantêm-se em dívida “dezenas de milhares de euros de despesas com EPI que ainda não foram ressarcidas. Reportamos mensalmente estes impactos, mas continuamos sem qualquer reposta e sem qualquer reforço orçamental”, alerta. E o problema pode ganhar contornos mais graves, se a situação não for resolvida o mais brevemente possível: “Teremos problemas financeiros graves em dezembro transversalmente ao IPLeiria, nomeadamente para o pagamento de salários”. 

O responsável vai mais longe e salienta que a instituição continua com “subfinanciamento crónico”, que é considerado “inexplicável e insuportável”: “Não é possível continuarmos a viver sem critério e sem uma fórmula de financiamento ao ensino superior”, justifica. 

O IPLeiria tem cinco escolas e 15 unidades de investigação, divididas por cinco cidades do distrito de Leiria e Lisboa. Atualmente, conseguiu mais 766 estudantes que no ano letivo anterior. 

Encontrou um erro ou um lapso no artigo? Diga-nos: selecione o erro e faça Ctrl+Enter.

0 Partilhas
Há mais para ler...